Quantos dias ficar em cada destino? 4 passos para descobrir

Está aí uma pergunta  difícil de responder e que precisa de autoconhecimento. Vou tentar ajudar com algumas perguntinhas e exemplos para que possa organizar sua viagem.

Imagine uma situação: Se você fosse a Paris, quantos dias ficaria por lá? Nas suas pesquisas vai encontrar muuuuuuuuuuita gente falando que não é possível conhecer toda a cidade em menos de sete dias, e dependendo da situação, é verdade. No meu caso, fiquei três dias e meio, e foi suficiente... Mas isso já faz alguns anos, talvez hoje em dia decidisse ficar uma pouco mais.

Para mim, tem quatro coisas que definem quanto tempo você deve gastar em um lugar e planejar sua viagem!

#1 – Que tipo de turista é você?

Palácio Real (Museu Nacional) de Luang Prabang, Laos
Palácio Real (Museu Nacional) de Luang Prabang, Laos

Se você é um turista em Desbravador ou Escavador – ou seja, gosta de sair andando e desbravando em busca do desconhecido, ou, prefere a partir de uma “evidência” escavar cada minúcia do destino.

Ah, vale dizer, que um turista predominante Desbravador, pode se tornar Escavador no caso de encontrar um tema de interesse, e vice-versa.

Por exemplo, quando fui ao Leste Europeu, comecei a descobrir o tanto de história ali e queria ficar mais tempo. Ficava pesquisando coisas no Google, etc.

Ou seja, dependendo do tipo de viagem, você pode querer relaxar mais, ou, aprofundar mais. Se você souber de antemão o que espera da viaja, melhor! =o)

#2 – Quantas atrações turísticas existem naquele lugar

Eu e o Iceberg no Catamaran dos Rios de Hielo em El Calafate, Patagônia Argentina
Eu e o Iceberg no Catamaran dos Rios de Hielo em El Calafate, Patagônia Argentina

Muitas vezes temos muita vontade de conhecer um lugar ou outro, por vezes sem um motivo claro (eu mesmo sempre quis conhecer Amsterdã, desde criança, sabe deus porque!). Mas não é por isso que você precisa ficar lá muuuuito tempo.

Tente ver quantas atrações importantes tem o lugar e quanto tempo vai durar cada passeio. É por isso que meus artigos sobre roteiro de viagem, tento ao máximo colocar as principais atrações e o tempo que gastei lá.

Nunca vai ser um plano perfeito, mas a cada viagem você aprender melhor quanto tempo precisa para um museu, praça, castelo ou qualquer outra coisa. Eu, por exemplo, não sou muito fã de museus… Antes costuma ir muito rápido, hoje em dia já invisto um pouco mais de tempo para conhecer o contexto todo, pois só vou em museus relevantes da história local.

#3 – Quanto as atrações turísticas te atraem/interessam

Não, não é a mesma coisa que o anterior. Principalmente nas nossas primeiras viagens, a gente quer aproveitar o máximo. Aí vai lá e planeja um mochilão para a Europa em que vai passar por 8 países em 21 dias (eu já fiz isso e talvez você vá fazer também!).

Então é importante pensar: “em Roma, quero conhecer no mínimo, Coliseo, Fontana di Trevi, Vaticano e bla bla… o resto é lucro”.

É saber escolher e priorizar. Em Berlin, fazer uma visita não planejada ao museu Judaico, me custou ver o Portão de Brademburgo  e o Memorial dos Judeus Mortos somente a noite. Priorizei e não cumpri.

Priorize, saiba o que quer vez e faça eles antes!

Ah… também não seja um chato e não perca oportunidades só para seguir um plano por seguir.

#4 – Como anda sua disposição física?

Agradecendo a natureza no Monte Ferrier em Torres del Paina, Patagonia Chilena
Agradecendo a natureza no Monte Ferrier em Torres del Paina, Patagonia Chilena

Tem gente, que não preparo físico, ou mesmo, não tem ânimo para grandes caminhadas…. Andar e, eventualmente, pular uma refeição ou trocá-la por um snack, madrugar ou dormir tarde para aproveitar mais ou melhor o dia ou uma atração.

Então, não exagere na quantidade de coisas que vai ver. Grande parte do deslocamento em sua viagem vai ser a pé. Considere o tempo e o esforço que isso exigirá!

Exemplificando para ficar mais claro… 

Na minha singela opinião de Turista Desbravador, nenhum ou quase nenhum lugar do mundo, precisa de mais de quatro dias para ser conhecido de maneira razoável.

Ou seja, conhecer bem os principais locais, experimentar as refeições, conversar e sentir qual o ritmo/cultura dos locais etc. Tokyo, Paris, Londres, Roma, New York… Todos eles, um desbravador pode fazer em quatro dias, mas, claro, que isso exige, algum planejamento e foco… Exemplos:

  • Conheci Escavadores que chegaram a passar dois dias completos dentro do Museu Louvre, em Paris. Eu fiquei apenas duas horas – foquei a olhar o quadros e esculturas famosas (Da Vinci, Michelangelo, Monet etc.) e os quadros Picasso que me interessavam. PONTO FINAL! O resto fui olhando enquanto caminhava pelos corredores. (item um)
  • Em Kyoto (Japão), para mim três dias foram suficientes (teria sido melhor se não estivesse tão cansado – item quatro). Mas conheci um Desbravador apaixonado por religião (não era religioso) e ficou seis dias na cidade.  Ele ainda estava preocupado pois não conseguiu ver todos os templos budistas, xintoístas etc. Para mim, atração turística eram só os templos principais, para este cara, cada templo era uma atração especial (item 2 e 3)
  • Como disse ante, em Berlin, tivemos dois dias (eu e minha namorada). No segundo dia, no meio do trajeto, decidimos entrar em um museu judeu e ficamos mais de uma hora (se no Louvre tínhamos ficado duas horas, nenhum outro do mundo mereceria mais que 30 min hehe). Isso fez com que chegássemos já a noite em locais que certamente seriam muito mais interessantes na luz do dia, como o Monumento do Holocausto ou o Reichstag Building. Para um desbravador qualquer mudança de planos pode custar caro, seja por perder uma atração, seja por ter que pegar um táxi não planejado para chegar em algum lugar.

Conclusão para planejar sua viagem!

Eu diria que para cada dois dias de um Desbravador, um Escavador vai precisar de mais um ou dois dias.

O principal impacto desta decisão é a quantidade de lugares que “conseguirá” visitar e conhecer satisfatoriamente, praticamente reduz pela metade o número de lugares que poderá visitar no seu Roteiro de Viagem

Por isso, faço as perguntas para refletir:

  • Quantas atrações turísticas existem no seu próximo destino?
  • Quanto as atrações turísticas te atraem/interessam? Quanto tempo quer gastar em cada uma delas?
  • Qual a sua disposição para correr para fazer tudo? É uma viagem de conhecimento ou de relaxamento?
  • E afinal, nesta viagem, você será Desbravador ou Escavador?

Mais sobre esta viagem...

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Viaje mais...

...continue viajando!